Nós, seres humanos, somos dotados de um cérebro poderoso do qual não temos um manual de instruções. De certa forma, é isto que a PNL pretende dar: um manual de utilizador para o nosso cérebro e para a mente.
As ferramentas da PNL podem melhorar, por exemplo, a forma como nos relacionamos, como lidamos com as nossas emoções, como comunicamos, como criamos hábitos e estratégias e alteramos comportamentos. Deste modo, podemos melhorar os nossos resultados profissionais, a nossa vida familiar e amorosa ou até a nossa performance num desporto que pratiquemos.
 
 

A PNL  – Programação Neuro Linguística é uma disciplina fundada nos anos 70 na Universidade de Santa Cruz, Califórnia, tendo começado com a observação e modelagem de terapeutas famosos como Milton Erickson e Virgínia Satir.

A curiosidade dos pioneiros da PNL pode resumir-se nesta pergunta: 

“Qual é a diferença que faz a diferença no comportamento das pessoas que são bem-sucedidas?”

Numa frase, a PNL estuda a nossa mente para descobrir o que a faz funcionar eficazmente. A partir daí, cria modelos e técnicas práticas com uma enorme gama de aplicação.

A resposta é simples: todos!

Como?

Além de leitura de diversos livros, há dois métodos mais eficazes: obter formação ou fazer consultas de coaching com PNL. As consultas de PNL costumam dar resultados rápidos, e a formação oferece a vantagem de te ajudar num processo de revisão dos teus comportamentos, estratégias e processos mentais, para uma verdadeira transformação de vida, no sentido de um futuro mais presente.

Na PNL, trabalhamos com modelos que consideramos úteis para descrever e transformar a realidade. Um exemplo é o dos Níveis Neurológicos, criado por Robert Dilts, que esclarece como nos desenvolvemos em diversos níveis, desde o ambiente em que vivemos até à conexão que sentimos com o universo, a divindade e tudo o que nos transcende.

Nós somos mais felizes e conservamos mais energia se estivermos alinhados nos vários níveis da nossa existência. Sentimo-nos melhor quando as nossas convicções e valores estão de acordo com as nossas capacidades e estas suportam o nosso comportamento sobre o mundo exterior. Sabemos que somos um ser único e individual com valores que nos motivam e temos uma sensação de pertença a algo maior que nós. A identidade está também ligada à ideia de termos uma missão neste mundo.

Acreditas que estás em contato directo com a realidade e sabes mesmo o que se passa no mundo?

A verdade é que, entre nós e o mundo que nos rodeia, existem vários filtros criados pelas limitações dos nossos sentidos e pela forma como interpretamos as nossas perceções. Basicamente, a nossa mente omite muita informação disponível, generaliza conceitos e crenças e crias mapas da realidade que são, necessariamente, distorcidos.

Porque são distorcidos?

Porque são sempre simplificações da realidade.

A forma como nos sentimos depende do estado mental em que estamos e da qualidade das representações internas (pensamentos e imagens), bem como da fisiologia corporal que adotamos.

A PNL ajuda a recuperar a informação perdida pela ação desses filtros, permitindo-nos criar pensamentos e ideias que funcionam como mapas do mundo mais completos e funcionais. A partir daqui, podemos desenvolver estratégias de comportamento mais eficientes e gratificantes.

O que é a PNL?

Como surgiu?

A PNL ajuda-nos a mudar a nossa perspetiva do mundo?

Como é que interpretamos o mundo e como fazemos as nossas associações?

Somos regidos por que valores?

Quais são as nossas crenças?

Como se distingue o comportamento daquilo que está por trás do comportamento?

O que é que se pretende com a PNL?

Pode a preguiça ser uma aliada nossa?

O vídeo seguinte apresenta uma entrevista a José Figueira, autoridade da PNL em Portugal, onde são respondidas estas e outras perguntas.