Ser feliz é algo que todos queremos, no entanto, parece que nem todos sabem como alcançá-lo de uma forma fácil ou até de todo. Existem vários caminhos que nos podem conduzir à felicidade, sendo que uns são mais adequados que outros dependendo do tipo de personalidade do indivíduo.

A felicidade é quase sempre o nosso maior objetivo em abstrato, embora poucos de nós saibamos definir com precisão o que ela significa. Alguns autores sugerem que está sobretudo relacionada com a ausência de dor e abundância de prazer. Outros porém, dizem que a felicidade não pode ser um objetivo, mas um modo de caminhar. Descubra o que a felicidade significa para si e qual o seu caminho para a obter!

 

O que é a felicidade?

Como podemos ser mais felizes?

Sentir prazer é o mesmo que ser feliz?

Que estratégias podemos adoptar na busca da felicidade? 

Como cultivar as condições necessárias para sermos felizes o tempo todo?

Através da análise da natureza da mente e do que é a consciência verificou-se ser possível reprogramar o nosso cérebro. Matthieu Ricard, monge budista, afirma na sua apresentação nas Ted Talk que adoptando hábitos de felicidade continuados podemos criar alterações ao nível mental e comportamental e consequentemente melhorias na vivência do indivíduo.

 

Os três caminhos-chave por excelência para a persecução da felicidade são: viver experiências prazerosas, o mérito pelo trabalho árduo ou dedicar a vida em prol do bem-estar dos outros.

Existem também formas muito básicas de promover um estado mental mais leve e feliz que podem ser aplicadas com facilidade no nosso dia-a-dia: 

Valorizar mais a felicidade em detrimento de todos os sentimentos negativos que nos possam rodear - nada é tão mau que nos deva fazer esquecer o que de bom acontece, por pouco que seja;

Expressar um ar mais alegre, existe um peso inegável por detrás de uma “cara feia”;

Escolher os pensamentos, nós não somos os nossos pensamentos, estes aparecem na nossa mente automaticamente, nós somos quem os ouve, se conseguirmos dissociarmo-nos desses pensamentos conseguimos estar num nível mais elevado onde conseguimos escolher o que queremos pensar; neste caso, a utilização de afirmações positivas costuma ser de muita utilidade, frases como “Eu sou feliz”, “Sou próspero”, “Amo-me”, entres outras, quando repetidas de forma consciente conseguem deixar uma impressão no cérebro que o reprograma no sentido de construções mentais mais agradáveis – “fake it, until you make it!”;

Praticar o sorriso quantas vezes conseguir, seja uma boa gargalhada sobre algo que você fez, entre amigos ou numa terapia em grupo, é importante que o riso faça parte do seu quotidiano, este tem demonstrado grande impacto na redução de doenças cardíacas, aumenta os níveis de colesterol bom no sangue, diminui a pressão arterial, aumenta a absorção de oxigénio pelos pulmões, melhora a digestão e a oxigenação do sangue, fortalece o sistema imunitário, combate as rugas e aumenta a auto-estima e confiança podendo assim ajudar a superar estados mentais depressivos  - quando mais nada parecer resultar, assista a uma boa comédia, relaxe e cure-se.

O método para a felicidade começa por identificar os pensamentos, crenças e limitações que estão a provocar estado de situação do indivíduo. Reconhecer onde está o problema é talvez a etapa mais importante de todo o processo, pois só sabendo onde é necessário atuar é que podemos aplicar as técnicas que nos levem ao desfecho pretendido.

Nesta fase o indivíduo é convidado a questionar as suas crenças e a ponderar até que ponto elas lhe têm sido úteis. Esta é uma viagem ao interior, onde as nossas bases mais sólidas podem ruir.