Antes da criança conseguir utilizar as palavras para expressar as suas necessidades ou os seus desejos, ela comunica essencialmente através do seu comportamento não verbal: expressões faciais, sons, choro e movimentos corporais. No início, ela tende a reagir imediatamente a qualquer mudança que ocorra no seu meio ambiente. Faz caretas, chora, contorce-se no colo. À medida que os adultos a ajudam a gerir (ou regular) as suas reações, a criança começa a ganhar cada vez maior controlo do seu próprio corpo e comportamento.

Para os mais pequenos, lidar com as emoções e estar bem com os outros não surge espontaneamente. Conhecendo quais são os comportamentos sociais e emoções típicos da infância, os pais e educadores podem usar estratégias para os ajudar. Quando o comportamento da criança é confuso, desorganizado e parece impedir a criança de atingir os seus objetivos, os adultos devem responder rapidamente de forma a acalma-la e conforta-la, ajudando-a a dominar as suas reações físicas imediatas e começar a usar estratégias de se autoacalmar, pensar e falar como formas de lidar com os acontecimentos.

À medida que a criança for capaz de verbalizar os seus estados emocionais, os seus comportamentos irão tornar-se mais regulados e apropriados às mudanças e desafios do seu ambiente.