Já deve ter dado por si a perguntar-se como é que funciona o processo de coaching.

O Life Coaching tem uma metodologia diferente de outros conceitos de desenvolvimento pessoal, nomeadamente porque se baseia em conversas e perguntas.

Grande parte do processo de coaching baseia-se em conversas. Conversas poderosas entre si e o seu coach vão permitir uma abordagem efectiva da sua vida exigindo de si objetividade na exploração dos diversos temas. Este treino de foco é essencial para o coaching e para que consiga os resultados que deseja.

Nestas conversas vão surgir claramente quais são os seus objetivos e as dificuldades que normalmente o impedem de os alcançar. Será então mais fácil delinear quais são os pontos chave que requerem maior atenção, planear alterações comportamentais e estabelecer metas e compromissos.

Dependendo dos obstáculos que surgirem, ou da própria fase do processo, poderá ser confrontado com ferramentas específicas que o vão ajudar a tornar mais claros os seus objetivos, os seus recursos e as suas prioridades. Relaxe, que o seu coach está preparado para o acompanhar e apoiar, mas conte com o desafio que lhe vai permitir superar as barreiras que o impedem de ser feliz.

Perguntas pertinentes

Uma das ferramentas mais comuns do coaching são as perguntas. Não se trata de perguntas banais, mas antes de perguntas poderosas, que têm como objetivo uma confrontação com a sua própria sistematização do pensamento, com vista a eventuais mudanças de paradigma, ou seja, à procura de formas mais facilitadoras de encarar as situações específicas.

Este tipo de questionamento tem origens na Grécia antiga, pelo que conta já com longa tradição.

No século 5 aC, Sócrates usou o poder do questionamento para descobrir as crenças e os erros lógicos do pensamento dos seus interlocutores. Este tipo de abordagem, designada por questionamento socrático, constitui uma ferramenta extremamente útil e atual em várias áreas que envolvam o pensamento, desde a filosofia, as terapias cognitivas até à gestão e a educação.

Recorde que a intenção do seu coach não é transmitir-lhe um determinado ponto de vista sobre uma situação, que funcione para si como comando a que deve obedecer. No coaching sabemos que cada pessoa tem respostas individuais e por isso formas próprias de enfrentar as situações, que se baseiam nos seus sistemas de crenças e de valores. As suas ideias não estão certas nem erradas: são as suas – e devem ser integralmente respeitadas. O objetivo das perguntas não é encaminhá-lo para uma determinada forma de pensar ou de fazer as coisas, mas antes a descobrir lacunas no seu sistema de pensamento (como por exemplo crenças limitadoras) que o estejam a impedir de executar as suas tarefas da forma mais assertiva. As perguntas vão fazê-lo pensar mais objetivamente sobre as situações que enfrenta e as suas respostas convencionais a tais situações; normalmente revelam-se soluções claras e mais fáceis para os seus problemas. 

 

Libertar a criatividade

Queremos que tenha perfeita consciência da situação, que se sinta de facto envolvido com ela, que pense e que tenha consciência plena sobre ela, que se sinta motivado a encontrar soluções e  que seja criativo. Em resumo, as perguntas poderosas pretendem aumentar a consciência, a motivação e a criatividade.

Existem várias metodologias e várias ferramentas que poderão ser utilizadas no processo de coaching com o propósito de aumentar a sua consciência sobre a sua realidade e dos seus objetivos. A finalidade é estimular a sua criatividade para encontrar soluções que possa colocar em prática para alcançar os resultados que pretende.

Quando trabalhar com o seu coach deve esperar muitas perguntas, que vão libertar as respostas que há em si.

 

 

Até ao final deste mês, estamos a oferecer uma sessão de coaching gratuíta e sem compromisso. Marque já!