CI13
 

A culpa (que também surge como forma de ressentimento quando atribuída a outros), o medo e a vergonha, são os três maiores venenos da mente humana que afectam a nossa percepção da realidade. Sem uma correta percepção, não poderemos tomar decisões corretamente e isso origina uma ciclo de baixa produtividade, que por sua vez resulta em mais culpa e mais medo das consequências desse estado. É urgente quebrar esse ciclo. Quando isso acontece, a sensação de leveza é imediata.

Nas sessões de coaching vais compreender a diferença entre culpa e responsabilidade, e com isto encontrarás uma sensação de profunda liberdade.

CI15
 

A culpa é uma poderosa ferramenta de manipulação, utilizada desde a antiguidade. Infelizmente, ainda que vivamos numa civilização mais avançada do que algum dia já se conheceu, continuam a utilizar-se a culpa como forma de pressão, muitas vezes combinada com o medo. Tamanha é a nossa vontade de ser aceite, de ser reconhecido e de estar em segurança, que facilmente nos deixamos manipular por detentores da autoridade que utilizam estas ferramentas de persuasão. O sentimento de culpa pode ser extremamente dilacerante para a nossa mente, porque ficamos com a sensação de ter um comportamento gravoso que julgamos irreparável. Neste cenário, ativamos o crítico interno e caímos num ciclo descendente que se generaliza e que condiciona a nossa percepção da realidade. É uma espécie de armadilha mental, da qual só é possível sair com uma desidentificação do pensamento e do exercício da autocompaixão.

O coaching vai-te ajudar a reconhecer as tuas responsabilidades com frieza e a encontrar soluções para que possas libertar o máximo do teu potencial. Deste modo, a tua consciência estará sempre tranquila e ganharás maior confiança para aprender a relativizar a opinão dos outros.

CI12
 
Quando estamos num quadro de falta de autoconfiança, de esgotamento físico ou emocional, até as pequenas tarefas parecem demasiado difíceis e impossíveis de concretizar. É importante compreender que a preparação faz parte do trabalho e ela inclui o respectivo descanso. Por outro lado, ajuda “desmontar” as grandes tarefas em etapas mais pequenas, mais fáceis de manusear. Depois disto, só custa começar!

O coaching vai ajudar-te a enfrentar com realismo as tarefas que precisas de desempenhar, bem como a reunir e mobilizar todos os recursos que sejam necessários para isso.

CI10
 

Com a vida atribulada que todos vivemos, orientada aos compromissos, aos objetivos e aos resultados, é muito fácil cair na falta de tempo para nós próprios. É importante compreender que se não o fizermos vamos deixar de ser produtivos e por isso o nosso contributo social vai ser diminuto. Vai instalar-se uma espiral descendente e um ciclo vicioso cada vez mais difícil de interromper. Há muitas pessoas que não são capazes de tirar tempo para si mesmas sem se sentirem culpadas, porque acham que isso é egoísta e que não merecem esse “privilégio”. Mas isso é uma ilusão mental. O paradoxo é que esse padrão resulta sempre em comportamento doentio e em falta de produtividade, pelo que é precisamente a razão pela qual não serão aceites.

O coaching vai ajudar-te a compreender o que é realmente importante para ti e a manter o foco nessas áreas da tua vida. As tuas escolhas ficarão mais facilitadas e a tua satisfação será imensurável.

CI9
 

Aprendemos a viver de determinada forma, a ter determinados padrões de comportamentos, que nem reparamos que não são obrigatórios. Pequenas mudanças de comportamento, trazem grandes mudanças nos resultados. E é possível fazer pequenas mudanças estruturadas nos nossos hábitos, que resultarão num estilo de vida muito mais prazeroso.

A proposta do coaching é que descubras outras formas de encarar a realidade e outros processos de pensamento, que terão reflexos na tua atitude, no teu comportamento e em toda a tua vida.

Pág. 4 de 6