4
 
Se não tivermos definido exatamente onde queremos chegar, qualquer caminho serve. E o resultado, também vai ser um qualquer! Ou seja, ficas à toa, ao sabor do vento, sem rumo e sem direção. E muito mais importante do que o ritmo a que fazemos qualquer coisa é o resultado que obtemos.
 
Definir objetivos é definir claramente os resultados que queres obter numa determinada tarefa, numa determinada fase, num projeto ou até para a tua vida.
 
Há um grande número de pessoas que expressa os seus objetivos de uma forma nublosa, pouco clara e sem precisão. São aquilo que eu chamo de objetivos subjetivos.
 
Como em tudo, há regras que podem ajudar a definir os objetivos. e neste vídeo vou-te falar de Existem 8 pontos que considero absolutamente essenciais para executares essa tarefa.
 
1 - Positividade
Eu sei que em muitas situações da vida o nosso objetivo é simplesmente fugir ou evitar alguma situação desagradável. De facto, uma das razões que nos leva a agir é tentar evitar alguma dor. E percebe-se. 
 
Numa determinada altura da minha vida eu tinha uma espécie de lista de exclusões, isto é, das coisas que queria evitar. Paradoxalmente, parece que só me apareciam situações referidas nessa mesma lista. Foi então que percebi que o nosso sistema neurológico não conhece a diferença entre o positivo e o negativo – ou seja, o nosso cérebro desconhece a palavra “não”! E isso explica porque é que quando rejeitamos tanto uma determinada situação, parece que ela se repete mais vezes. Tipo perseguição!
 
Imagina que usas o sistema de voz para dizer ao GPS do teu telemóvel, “Não quero ir para Paris”; o que acontece? Lá fica o GPS a calcular a rota até Paris 😊 
 
Outro exemplo, imagina que te digo para não pensares em elefantes cor de rosa. O que aconteceu?
 
Espero que tenha ficado claro para ti a importância de estabeleceres a importância pela positiva! Define claramente o que queres alcançar e não o que queres evitar!
 
2 - Pessoal
Quando eu andava na tropa havia um tipo que marchava sempre ao contrário. Quando a voz mandava ter o pé esquerdo no chão ele punha o direito. Acredito que na perspetiva dele todos estavam errados, só ele é que estava bem. Se os outros marchassem todos como ele não precisava de mudar nada.
 
Eu sei que era mais fácil que todos os outros mudassem, de modo que pudéssemos alcançar mais facilmente os nossos propósitos. Felizmente, eles seguem as suas próprias vidas e devem ter os seus próprios objetivos e ponto de vista. Não seria justo se tivessem todos que mudar só para te satisfazer, pois não?
 
Então, na formulação dos objetivos, pensa sempre no que queres para ti. E só para ti. Os objetivos têm que ser pessoais.
 
3 - Presente
Para um objetivo ser de facto objetivo, tens que poder começar a trabalhar nele já, agora mesmo ou nos próximos momentos.
 
Objetivos para o futuro são ideias, meras manifestações de intenção ou de desejo. Não são objetivos. 
 
E podes dizer: sim, mas o meu objetivo é ambicioso, vai dar que fazer e não vou conseguir alcança-lo já. Ok. Mas pelo menos tens que poder começar a dar os primeiros passos em direção a ele agora.
 
Normalmente, gosto de dividir os objetivos e de distinguir os grandes dos pequenos. Todos são importantes. Os pequenos objetivos orientam-se a curso prazo e são na verdade conjuntos de tarefas que tenho que realizar para alcançar um determinado estado, enquanto os grandes objetivos se referem a coisas mais estruturantes, normalmente orientadas a um prazo mais alargado, como uma meta. 
 
4 - Específico
Já falei antes de como um objetivo tem que ser definido com especificidade. Quanto mais específica e rica em detalhes for a tua definição de objetivo, maior é a probabilidade de os alcançares. É verdade que depois podes mudar de ideias, isso é normal e até benéfico, porque normalmente quando mudas de ideias é porque encontraste uma forma melhor. Especificar claramente o objetivo, vai-te ajudar a encontrares mais possibilidades de os atingires.
 
5 - Mensurável
Muitas vezes difícil, mas os objetivos têm que ser mensuráveis, para teres uma ideia de quanto já avançaste para os alcançar. A forma de medir os objetivos pode ser qualitativa, mas é sempre preferível que seja quantitativa.
 
6 - Alcançável
Eu acho muito honestamente que não há metas que não possamos alcançar, mas nem sempre estamos dispostos a pagar o preço disso. É muito importante que acredites que consegues alcançar os teus objetivos, por muito ambiciosos que sejam. Uma forma de compreender isso é subdividir grandes objetivos em metas mais pequenas, ou seja, desmontar o objetivo em pequenas peças que pareçam mais alcançáveis e realistas. Mas não deixes de te desafiar. O equilíbrio perfeito é quando uma meta é alcançável se ativares todos os teus recursos. E isso será um desafio para ti!
 
7- Relevante
Para que possas mobilizar de facto todos os teus recursos em direção a um objetivo, ele tem que ser realmente relevante para ti. Deve ter um significado que é só teu. Por isso insisto tanto na questão do propósito. Mais importante do que definir o que fazer ou como fazer é perceber porque o fazes. Por que causa queres empreender os teus esforços para alcançares o teu propósito e o teu objetivo. Com isto claro e em mente, é muito mais fácil e justificável dares o teu melhor.
 
8 - Tempo definido
Não adianta teres os objetivos muito bem definidos, senão definires num determinado prazo: vai ficar apenas mais uma declaração de intenção, sem nenhum compromisso e esforço para os mobilizares.
 
Para te ajudar a memorizar esta lista de requisitos para os objetivos, usa esta cábula:
 
PPP + SMART
 
Positivo
Pessoal
Presente
eSpecífico
Mensurável
Alcançável
Relevante
Tempo definido
 
 
E uma dica final! Escreve! O que não está escrito está só meio pensado. Escreve num papel, num bloco de notas, no telemóvel, no computador. Onde quiseres! Mas escreve! Vais ver que depois de escrever os teus objetivos, um a um, utilizando estes 8 pontos, muita coisa vai mudar na tua cabeça!