Continuando a investigar dentro das nossas cabeças, também há as emoções. As emoções são, na verdade, cadeias de reação físicas, que reagem aos nossos pensamentos ou as nossas percepções de alguma realidade. Não só em relação aos nossos pensamentos, mas à nossa leitura de uma determinada realidade. Quando tu, por exemplo, te deparas com algum perigo, tu não ficas a pensar; o teu corpo reage por ti. E estas reações instintivas e automáticas que surgem na sequência de uma determinada situação, por via de algum processo cognitivo ou não, são aquilo que designamos por emoções.  

De facto, são mecanismos automáticos desencadeados para dar resposta a situações. É o nosso instinto, é mais forte do que nós. E ele aparece de facto de uma forma muito repentina.  

Muito importante compreender ainda que a emoção não precisa de motivos reais, mas apenas percebidos, ou seja, é natural que a tua cadeia de reação, seja normal, as tuas reações sejam normais, o teu medo, sejam normais, quando tu estás perante um perigo real, mas as nossas emoções também são muitas vezes desencadeadas pelos nossos pensamentos e os nossos pensamentos são muito influenciados pelas nossas crenças.  

É preciso distinguir aquilo que é real e aquilo que é imaginário é preciso fazê-lo de uma forma consciente. O nosso cérebro não tem capacidade de distinguir entre aquilo que é positivo e aquilo que é negativo, também não tem a capacidade de distinguir entre aquilo que é real e aquilo que é imaginário.  

Portanto, se tu imaginas um cenário de perigo - ou seja, através do pensamento se tu crias um cenário de perigo ou então múltiplos cenários de perigo com que te podes deparar no futuro, e isto se calhar com vista a uma determinada preparação de alguma coisa que eventualmente te possa acontecer - pode parecer que é muito inteligente isso, mas, na verdade, estás a desencadear uma série de emoções negativas. O corpo reagirá a estes pensamentos como se eles fossem realidades, porque a perceção, de facto, está a condicionar a realidade e muitas vezes esta tua perceção está a fazer com que estas emoções se criem. Estas emoções que se gerem de uma forma completamente automática.  

Em termos de funcionamento do cérebro as nossas emoções têm prioridade, elas conseguem tomar conta do nosso ser. Deves saber do que é que eu estou a falar.... Então, é importante, percebermos aquilo que é real e aquilo que é imaginário, aquilo que de facto é positivo e aquilo que é negativo, para que o nosso cérebro possa contar com informação de qualidade, e a partir dessa informação ter a capacidade de gerar melhores emoções e de gerar também melhores decisões, melhores comportamentos e melhores resultados

Acredites ou não, todos nós tomamos decisões com base nas nossas emoções e depois acabamos por justificar estas nossas decisões com base em princípios racionais, ou seja, vamos tentar justificar racionalmente as nossas decisões. A forma de tomar boas decisões é gerar boas emoções.  

E para isso é preciso que tu sejas capaz de manter o teu íntimo - o teu ser - livre de preocupações falsas e de cenários que de facto não vão provavelmente ocorrer. Para isto é importante que mantenhas o teu íntimo livre de falsas preocupações e de cenários que muito provavelmente nunca vão ocorrer, além de ocorrerem no teu próprio pensamento, mas depois condicionarão as emoções.  

A emoção não precisa de motivos reais, mas apenas percebidos. E se tu não podes condicionar que te acontece, e aquilo que a vida te oferece - a verdade é que tu podes sempre controlar a tua reação perante aquilo que te acontece e a tua perceção daquilo que está a acontecer.  

Então, faz sentido treinarmos boas emoções para que o nosso íntimo esteja preparado para que as coisas corram bem e não pense sempre que o nosso pensamento mais diabinho vai ter razão e que as coisas vão sempre ser catastróficas e dramáticas como nós muitas vezes parecemos acreditar. As crenças têm um papel absolutamente determinante nesses processos.       

E os sentimentos?

Depois também há os sentimentos. E os sentimentos são a forma que o nosso pensamento tem para integrar as emoções com as razões. Basicamente estes sentimentos, são pensamentos que nós temos para interpretar estas emoções, e para acolher estas emoções de uma forma mais continuada. A emoção é sempre alguma coisa física, algum mecanismo de origem física e com um pico momentâneo. Dizem que as emoções não duram mais do que alguns segundos, mas os sentimentos ficam e, portanto, ficam a perdurar e muitas vezes também depois consolidam-se em novas crenças.  

Dentro das nossas cabeças além das opiniões, das emoções, sentimentos e pensamentos, existem ainda as crenças. E todos estes processos estão interrelacionados e são interdependentes. Isto para que tu compreendas a complexidade deste mundo interior com que nós lidamos todos os dias.