Já imaginaste como podia ser interessante se conseguisses identificar as emoções das pessoas à tua volta, quer dos teus clientes, quer dos teus amigos, quer das pessoas com quem vives ou com quem contactas no dia a dia? Se conseguisses identificar as suas emoções, através das expressões faciais e da linguagem não verbal?

Seria muito interessante. Aliás, tornava-te quase um detetive. Seguramente, lembras-te desta série Lie to me, uma série tão interessante, em que este senhor identificava, através das expressões faciais e da linguagem não verbal, as pessoas que estavam a mentir e conseguia desmistificar grandes enredos, através da linguagem corporal. 

A boa notícia é que tu também podes fazer isto, e eu vou-te dar algumas dicas de como o podes fazer. 

Então, a primeira via para acedermos a estas emoções é, sem dúvida, através das expressões faciais. Às vezes, é difícil acreditar, quando se ouve falar disto pela primeira vez, mas curiosamente está mais do que comprovado que todos nós temos determinadas microexpressões faciais, muito rápidas, muito subtis muitas vezes, mas todos nós as temos, quando experimentamos as mesmas emoções. O que quer dizer, então, que é possível aprenderes a ler estas emoções. Nesta imagem, temos as expressões faciais das emoções mais comuns, das seis Emoções consideradas primárias. Vou ensinar-te a perceber, um pouco, como se distinguem umas das outras.  

Temos as expressões da surpresa, da raiva, do medo, da tristeza, da alegria e do desprezo.  

Começamos por analisar, mais em detalhe, a expressão da surpresa. Vemos os olhos ligeiramente mais abertos, o sobrolho ligeiramente levantado e os lábios rasgados. Estes são os grandes marcadores, os grandes indicadores da expressão da surpresa.  

Na raiva, os olhos estão semifechados, como que a focar-se num determinado alvo, o sobrolho ligeiramente pousado, as narinas ligeiramente abertas e os lábios cerrados.  

Na expressão do medo, vemos os olhos abertos, a boca já não está rasgada e as narinas também podem estar ligeiramente dilatadas. 

Na tristeza, o que vemos tipicamente - até mesmo nos Emoticons -, é uma curvatura nos lábios, no centro, para baixo. Os olhos estão ligeiramente mais abertos, mas com um olhar mais profundo, mais carregado.  

A expressão da alegria é muito interessante, porque normalmente é caracterizada pelo sorriso. Na nossa imagem, vê-se um sorriso subtil, mas é um sorriso. No entanto, há uma forma de vermos se, de facto, esta expressão de alegria é verdadeira ou não. Procura perceber, no canto do olho, uma pequena ruga. É uma pessoa jovem, portanto é bastante subtil, mas, de facto, está ali ligeiramente enrugado. Quando vemos um sorriso autêntico, como este, identificamos, claramente, o que parece uma pata de uma galinha, com 3 rugas. Repara nesta microexpressão.  

Na expressão de nojo ou de desprezo, que é como que um ar de riso, mas tem uma particularidade: os lábios não estão simétricos. Há um lado do lábio superior que está ligeiramente mais acima e a face está mais contraída do que a outra. Esta é, claramente, a expressão de nojo ou a expressão de desprezo, que são idênticas.  

Também na linguagem corporal há, de facto, coisas que são muito óbvias, mas há outras que são bastante mais subtis. Nesta imagem, está a mesma pessoa, mas com 4 expressões diferentes. 

Na primeira, vemos que é uma pessoa que está claramente farta de estar ali, que se quer ir embora. Tem o pé ligeiramente mais puxado à frente, já quase pronto para sair; as pernas a treinarem o movimento para sair dali para fora.  

A seguinte, está farta de estar ali, mas está a pensar noutra coisa e está distraída; ainda se vai aguentando.  

A terceira, está a observar o espaço e muito feliz por estar ali. 

A última, está muito excitada e com ar muito profissional e de prontidão para aquilo que vai encarar a seguir. 

Mas há muito, muito mais do que isto! 

Algumas leituras muito rápidas, para explorares e ficares a saber mais sobre as microexpressões faciais, assim como, sobre a linguagem corporal. Se te quiseres tornar num especialista nesta matéria, recomendo-te a leitura do livro de Paul Ekman “A linguagem das emoções”. É muito, muito interessante porque, quando nós aprendemos a ler estas microexpressões faciais nas pessoas, conseguimos identificar os sentimentos e até, muitas vezes, identificar padrões de pensamentos ou fluxos de pensamento que o nosso interlocutor está a ter. Isto é muito útil para compreendermos aquilo que a pessoa não nos diz diretamente. O nosso corpo, ou melhor, a nossa intuição, acaba por detetar qualquer coisa, mas se estudares esta matéria vais ficar com instrumentos e com ferramentas para saberes exatamente o que é que as pessoas estão a sentir, de uma forma autêntica e verdadeira, em cada momento. E isto é uma ferramenta muito importante, para a comunicação e para que tenhas as rédeas da comunicação! Vais aprender a ler aquilo que o outro não te quer dizer! 

Espero que tenhas gostado desta dica. Explora, porque isto é muito interessante!