Neste artigo vamos explorar um tema particularmente delicado, que é a questão das feridas emocionais. Tu provavelmente nunca ouviste falar destas feridas. É uma verdade escondida, do qual parece que todos nós queremos esconder ou de que ninguém fala. Mas é fundamental que tu tenhas consciência das feridas emocionais para as compreenderes em ti mesmo e nos outros.  

Contudo, deves ter em atenção algumas coisas referentes a este tema que é particularmente delicado.  

A primeira coisa é que tu podes identificar-te com alguns dos perfis que vais encontrar descritos, ou com vários deles até. O normal é que os seres humanos possam acumular várias feridas emocionais e elas intercambiam-se entre si, ou seja, interrelacionam-se e às vezes sentimos mais uma, outras vezes sentimos outra, e outras vezes reagimos em relação a todas as outras. 

Não te assustes com esta identificação. É de facto importante que tu faças este exercício para tu compreenderes quais são as feridas que tens escondidas e que afetam a tua atitude e o teu comportamento. Então neste momento é simplesmente para fazermos uma tomada de consciência. Portanto não te assustes! 

Depois, as feridas emocionais têm muito a ver com o comportamento e a atitude dos teus progenitores durante a tua primeira infância. Contudo, os teus progenitores fizeram, de certeza absoluta, tudo aquilo que estava ao alcance deles e o melhor que era possível com as condições que era possível. É um princípio do ser humano que parece cada vez mais documentado, e cada vez mais provado, nós tendemos a fazer o melhor possível com os recursos que temos disponíveis em cada momento. Portanto, não os culpes, nem os responsabilizes por isso. Eles de certeza que fizeram o melhor que podiam. 

Depois, outra coisa que é importante chamar-te à atenção, é que tu podes encontrar também descrições de pessoas que tu conheces, mas não as culpes e nem as julgues. Estas feridas emocionais são inconscientes, as pessoas não têm culpa e não têm consciência sequer delas. Portanto, elas não podiam ter feito nada para as evitar, sem que tenham consciência delas. Mas talvez seja um pouco o teu papel aí, ou seja, favorecer as circunstâncias para que esta pessoa possa ter consciência das suas feridas emocionais. Todavia, não a culpes porque ela de facto não tem culpa e nem a julgues porque ela não podia ter feito nada para evitar isso.  

Por último, destas chamadas de atenção iniciais, era para reforçar aquilo que já estava a dizer que é, as pessoas provavelmente não sabem que seguem estes padrões que são completamente involuntários, inconscientes e não dependem da sua escolha. 

Então, recebe esta informação com compaixão e com autocompaixão também, porque no fundo vais ter a possibilidade de fazer um exercício de auto consciencialização de algumas coisas que podem estar a afetar as tuas emoções, e com isso a tua atitude e o teu comportamento. Com base nesta auto consciencialização talvez tu possas aprender também a reconhecer estas feridas emocionais nas outras pessoas, e talvez, isso faça com que tu aumentes um bocadinho mais o respeito que tens por elas. 

Para saberes mais sobre as perceções emocionais que dão origem às feridas emocionais carrega AQUI.