Então o que é que pensam os estóicos?
Os estóicos pensam que há coisas que nós podemos controlar e há coisas que nós não podemos controlar. Contudo, nós sabemos que grande parte das pessoas, e se calhar até nós em algum momento, tentamos controlar coisas que não dependem do nosso controlo e então perdemos muita energia com isto. Nós não queremos mudar de facto, nós queremos que as circunstâncias mudem, e então tentamos lutar contra as circunstâncias para que as circunstâncias mudem, para que essa mudança não tenha de ser interior, e isto é completamente inútil. E além de ser inútil põe-te num ponto em que as coisas simplesmente não dependem de ti, ou seja, põe-te numa zona de muita insegurança porque tu estás dependente das circunstâncias.
 
O teu foco está nas circunstâncias e não está na tua reação perante elas. Isto leva-nos a outro pensamento estóico que diz que há coisas que nós podemos mudar e há coisas que nós não podemos mudar. E o que conta não é as coisas que nós não podemos mudar, o que conta é aquilo que nós podemos mudar. E se reparares, muitas vezes, tu não podes mudar as circunstâncias da tua vida, mas podes mudar a tua reação a elas. Isto sim, isto depende de ti, isto pode estar ao teu alcance, mudar a tua reação. E quando tu deixas de ser reativo, tu automaticamente começas a poder ser ativo. O que é que eu quero dizer com isto? Que a tua vida não vai depender das tuas circunstâncias externas, tu não vais andar a correr atrás da resolução de coisas que não dependem de ti.
 
 Muitas vezes tentamos resolver problemas que nem sequer tem solução, e que por isso nem sequer são problemas, mas simplesmente factos que têm de ser encarados e têm de ser utilizados no nosso cenário. Isto vai-te dar uma sensação de permanente insegurança porque toda a tua energia, toda a tua atenção vai estar depositada sobre coisas que não dependem de ti, que tu não podes confiar que vão correr da tua maneira. Entretanto, perdes a oportunidade de conduzir a tua vida para aquilo que tu queres construir e é por isso que estes 2 princípios são muito importantes: a equanimidade e a ataraxia.
 
Por um lado, a questão da tranquilidade e da harmonia, porque se nós começarmos a dominar as nossas circunstâncias internas não importa assim tanto quais são as circunstâncias externas. A paz pode ser encontrada só e simplesmente dentro de nós, não pode ser encontrada à nossa volta. Por outro lado, permite-te criar confiança no sentido em que vais depositar a tua atenção sobre as coisas que dependem de ti, e isto é um universo de muito maior segurança. Se tu continuares a depositar atenção sobre coisas que não dependem de ti, tu vais continuar a sentir-te inseguro e é dessa insegurança que vem a maior das intranquilidades. Resgata o teu poder de não ser reativo e de não reagires às circunstâncias, e de seres a parte mais ativa na construção da tua própria vida.
Não importa o que a vida fez de ti, o que importa é aquilo que tu vais fazer com o que a vida fez de ti.