Porque, de facto, a maturidade vai condicionar bastante a nossa reatividade, a reatividade da nossa mente. Porque repara que muitas vezes aquilo que nos está a acontecer é interpretado por nós de uma forma que não é transparente, que não é exatamente aquilo que está a acontecer.

Muitas pessoas vêm ameaças, vêm problemas em todo o lado e não são capazes de desenvolver oportunidades, de perceber que todas as situações da vida - por muito estranho que pareça - todas as situações da vida trazem oportunidades. 

A razão pela qual nós não vemos as oportunidades, muitas vezes, é porque reagimos. E esta reação vai causar um problema muitas vezes maior do que o problema que nós estamos a viver. Às vezes, a nossa reação é um problema maior do que a circunstância da vida que tu estás a viver e que serve de motivo. Quero dizer que se torna mais grave a consequência.

Quanto maior é a nossa consciência e a nossa maturidade, mais transparente e independente é a forma como nós percebemos o mundo; e a qualidade da nossa perceção é decisiva para a qualidade das nossas decisões, para a qualidade das nossas escolhas. Por isso é que é importante termos a certeza de que vemos as coisas como elas são, percebemos as coisas como elas realmente são. E isto não é, de facto, fácil e só se consegue com maior maturidade. 

A maturidade vai-nos também nos trazer a capacidade de desenvolver o discernimento. É esta capacidade de vermos as coisas com sensatez, com clareza, com bom senso. É perceber a diferença entre aquilo que é certo e errado, independentemente, de ser certo ou errado para nós individualmente, mas numa perspetiva mais global; é tu seres capaz de avaliar as coisas como se estivesses de fora delas. E é esta capacidade de avaliação que está na base da assertividade, que é outro termo muito interessante quando falamos na questão da maturidade. 

A assertividade significa que nós somos capazes de ter a reação certa no momento certo. Há uma frase do Aristóteles que diz:

“qualquer um pode zangar-se, mas zangar-se na forma certa, no momento certo e pela causa certa, isso é muito difícil” 

Portanto, ser assertivo é ser capaz de agir em conformidade com uma situação sendo afirmativo, de uma forma isenta, de uma forma neutra, se quiseres, ou seja, isolada da questão da emotividade, da questão da impulsividade, da questão da nossa reação.